quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Posto Policial

Foto/contribuição: Dema da Embasa



Ao lado (da esquerda para direita): Tenente Neves, Arão Dantas Narcizo, Sr Herculano, Seu Almerindo (Chinico), Silvino Soldado, Zé Quebra Pau e Antonio Matias. Ano: 1969

Na época existiam seis policiais, um escrivão, Antonio Matias e um carcereiro, José Ramos Filho (Zeca Pé Branco), responsáveis em manter a ordem em nossa cidade.
Nesse tempo havia um pouco de violência: Badernas em bares e em festas, pequenos furtos, etc. Houve alguns assassinatos. Com a chegada do Delegado Tenente Neves houve uma melhora considerável, continuando com o Capitão Durval Castro e Durval de Zé Grosso.
Informações: Antonio Matias



O Posto Policial, que era chamado por "quartel". Tinha uma cela comum, uma sala para os presos de justiça e, também, uma cela chamada "solitária" ou "quarto escuro" para os mais perigosos e para os que chegavam exaltados até se acalmarem ou aqueles que desrespeitavam as ordens e tentavam de alguma forma anarquizar o ambiente. Até o odor do quarto dava arrepios.



Ao lado: Cela da frente ou primeira cela, para presos comuns. Os presos nas tardes de sol colocavam as pernas para o lado de fora observando todo o movimento da Rua da Igreja.




A solitária, ao lado, um quarto totalmente fechado e escuro apenas com uma pequena brecha para a passagem de água e alimentação.












O fórum funcionava na prefeitura velha, hoje, Câmara de Vereadores.







Antonio Moreira Primo de Prado, primeiro delegado de Cumbe. Antonio Moreira era tio de Dom Jackson B Prado.
Foto/contribuição: Airton Moreira Caldas
-

Nenhum comentário: