quarta-feira, 17 de junho de 2020

Le Galope


A Le Galope começou  padaria no térreo, padaria bar e lanchonete, depois, pizzaria no primeiro andar.

A seta amarela indica o terreno onde foi construída
A seta vermelha a Avenida Almerindo Rehem

Ambiente de requinte, bom gosto, foi um dos maiores pontos de encontro e entretenimento para euclidenses e visitantes. Após uma boa conversa no primeiro andar,  chegava-se o momento de saborear uma boa pizza feita por  pizzaiolos  de fora que vieram  dar dicas para formação de novos na área. Começou  em setembro de 1982, com Hilton Celestino (Durão), logo passou para seu  irmão,  Milton (Fanta). 


Alguns meses depois da inauguração, iniciou-se o som ao vivo, voz e violão. Quase todos os finais de semana tinha Iomar Canário, alternando para Chico D`Oliveira. “Muitas vezes eu chegava a noite, cansado de viagem a serviço do Interba e logo, sem ter nada marcado, chegava Durão em minha porta me chamando para mais uma cantoria no local. Pegava meu violão e rapidinho chegava lá” comentou  Iomar Canário. Isso era no primeiro andar. A bebida da moda era cerveja Brahma Chopp, e bebidas quente, bacardi com coca, Vodka com refrigerante laranja,  Dreher com Martini, Campari, o “sofisticado” Whisky Old Eight, e o gordinho Natu Nobilis


Na década de 1990 eram sempre convidados: Zé de Zezito com seu irmão, Ney Campos e Kleyton Nunes  com reportório de Geraldo Azevedo, Xangai, Alceu Valença, entre outros. Houve som ao vivo na rua, em frente ao prédio com o Projeto Verão. O projeto  se ampliou para vários bares da cidade e região patrocinado  pela cervejaria Antárctica por 6 meses com a finalidade de superar a concorrente Brahma Chopp (a queridinha da época).


Kleyton Nunes, Zé de Zezito e Ney Campos
Projeto Verão - Cerveja Antárctica

Algum tempo depois foi aberto uma área na lateral do prédio, na rua Benjamin Constant, com o ambiente maior. Deu-se início a cobrança de ingressos ou taxa de consumação para ouvir bandas locais: Banda Brilhante, J. Som 6, Antônio Rocha, Chico D`Oliveira, Zeca dos Teclados, Grupo Realce, Peles de Gato, entre outras, como também  grupos de forró locais. Os dois ambientes,  muitas vezes, funcionavam simultaneamente, sendo a parte superior com som ambiente.
Os primeiros funcionários foram: Seu Miguel pai do Nel Saad, Bigode e Nel conhecido como Nel da Le Galope
A Le Galope, hoje, ano 2020, com nova direção, foi transformada em pontos comercias no térreo e funcionará na área superior. Muitos casais de hoje se conheceram na inesquecível Le Galope.


Por Ney Campos





__
__

Um comentário:

Gláucio disse...

que bacana história do galope. pena que desmontaram